domingo, 14 de julho de 2013

PSB gaúcho defende candidatura de Eduardo Campos à Presidência da República

Cerca de 300 lideranças socialistas participaram no sábado, dia 13/07, da reunião ampliada do Diretório Estadual do PSB/RS. Foram debatidas as conjunturas política e econômica estadual e nacional e avaliados os rumos do partido para 2014. Os socialistas gaúchos foram unânimes nas manifestações de apoio à candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à presidência da República, demonstrando entusiasmo com a possibilidade real e viável de um projeto nacional, com protagonismo do partido.


Alguns dirigentes defenderam candidatura própria do PSB ao Governo do Rio Grande do Sul mas, no Estado, os socialistas buscarão alianças que dialoguem e fortaleçam a candidatura nacional de Eduardo Campos.

O presidente estadual do PSB, deputado Beto Albuquerque, avaliou o resultado do encontro afirmando que, ao ouvir as bases, ficou claro que os socialistas querem e já começam a trabalhar pelo projeto nacional, advertindo, no entanto, que “Nosso partido não quer candidatura de construção. Queremos ganhar a presidência da República e as candidaturas estaduais precisam trabalhar nesse sentido”.

Hoje, a tarefa principal do PSB é a construção da candidatura de Eduardo Campos. O projeto de Brasil dos socialistas terá propostas objetivas e concretas para atender a voz das ruas e ir ao encontro das necessidades reais do povo brasileiro.

Sobre o plebiscito, os socialistas entendem que este não foi o clamor das manifestações, que, na realidade, cobraram melhores serviços públicos, mais saúde, educação, segurança e mobilidade urbana.

Durante a reunião, que lotou o Auditório da FETAG/RS, em Porto Alegre, os socialistas destacaram bandeiras defendidas em todo o Brasil como o fim das coligações proporcionais já para 2014; a unificação das eleições para 2018, mandatos de cinco anos sem reeleição, o fim foro privilegiado e o fim do voto secreto. O PSB gaúcho também destaca a necessidade de uma reforma de estado, que enfrente os problemas e privilégios do Executivo, Legislativo e Judiciário, incluindo Ministério Público e órgãos de fiscalização. Também defendem a criação do Sistema Único de Segurança Pública e a aplicação de 10% do Orçamento da União para a saúde, e 10% do PIB para a educação.

O encontro foi muito representativo, reunindo todos os deputados estaduais e federais do partido, o vice-governador, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e dirigentes estaduais e representantes dos movimentos sociais da sigla no Estado. Não faltaram criticas ao descontrole da economia brasileira que ameaça a estabilidade financeira, os preços e os empregos. Os socialistas criticaram as atitudes do governo federal que demonstra maior preocupação com as eleições do que com o diálogo e a solução dos problemas do país.

Texto e foto: PSB/RS.

Participação do PSB de Tapes

Participaram da atividade em Porto Alegre o Presidente Municipal do PSB de Tapes, Rafael Fernandes, e o 1º Vice-Presidente e Secretário de Movimento Popular, Vagner Alves, que também participou de uma reunião do Movimento Popular Socialista (MPS) para tratar da eleição da Diretoria da Federação Riograndense de Associações Comunitárias e Moradores de Bairros – FRACAB, que ocorrem no mês de agosto.
Segundo Rafael Fernandes, "nas falas de todos os militantes dos 4 cantos do Rio Grande ficou evidente que a candidatura do Eduardo Campos a Presidente é uma certeza da maturidade do PSB, a saída do PSB dos Governos Estadual e Federal é inevitável para manter a coerência do nosso Projeto e a candidatura do companheiro Beto Albuquerque ao Governo do Estado é aclamada por 99% da militância socialista. Foi uma excelente atividade e estão renovadas as expectativas de que estamos sim em um ótimo caminho".